quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Meme: Dia Nacional do Livro

O Mario Rinaldi me convidou pra participar desse meme sobre o Dia Nacional do Livro, que foi ontem. Como eu só vi hoje, vou postar hoje mesmo. Acho que ainda vale - sempre é hora pra se falar sobre cultura.

Eu adoro ler. Leio principalmente ficção, mas como já citei, ando bem interessada em livros culinários ultimamente. E esse gosto pela leitura não surgiu de uma hora para outra, mas foi construído desde bem pequenininha. Meus pais me presenteavam com livros, revistas em quadrinhos, mesmo antes de eu aprender a ler. Me ensinaram o prazer de ir em uma biblioteca e percorrer as prateleiras em busca de uma nova história.

Não adianta as escolas obrigarem adolescentes a ler Machado de Assis: quem nunca leu "Marcelo, Marmelo, Martelo" não está preparado para entender as sutilezas de "Memórias Póstumas de Bras Cubas".

Cruzadas sem propósito são travadas contra a série Harry Potter e os livros do Dan Brown. Dizem que os livros são feitos para tornarem-se roteiros, que são fracos e que a leitura não instiga o pensamento. Sou fã de Harry Potter e li alguns do Dan Brown e acredito que uma coisa é inegável: esses livros incentivam a leitura de milhares de pessoas e são porta de entrada para outros livros. Inclusive pessoas que não tinham o hábito tornaram-se leitores a partir desses títulos de leitura mais simples. Novamente: não se pode iniciar com Machado de Assis.

A internet dá a impressão de ser a solução para a maioria dos assuntos. É só colocar no Google e puff! Uma resposta mágica sairia das páginas do seu browser assim como um gênio sai de dentro da sua lâmpada. Ledo engano. Os assuntos desse blog - culinária e nerdices - são bons exemplos. Assim como é necessário um bom livro de técnicas, ilustrado e cheio de explicações minuciosas para se conseguir visualizar como se faz a sova de um baguete, é preciso um livro para explicar a teoria embaixo da tecnologia, para dar toda a base matemática dos algoritmos, algo que não se encontra nem no melhor fórum da área.

Pelo meme, devo recomendar três livros. Mas me reservo o direito de indicar seis: três de culinária e três de literatura.

Literatura:
* A insustentável leveza do ser (Milan Kundera)
* O Físico (Noah Gordon)
* Olhai os Lírios do Campo (Erico Verissimo)

Culinária:
* NigellaExpress
* Técnicas da Cordon Bleu
* Dona Benta

3 comentários:

Bruna disse...

repassei
=D

RSG disse...

Bela postagem, pré-feira do livro de Porto Alegre.

Também cresci entre livros, bibliotecas, livrarias, editoras - meus pais são profissionais de áreas diretamente relacionadas ao universo das letras, portanto, nada de anormal.

Machado de Assis sempre foi uma de minhas referencias, mas reconheço que não é nada indicado aos neófitos que se arriscam pegar os tílburis em direção aos clássicos sem antes serem amaciados em carruagens de aparência menos rebuscadas.

Então, dando seguimento às nominações, indico meu livro de cabeceira, que tem tudo a ver com a proposta do post: Marteen Éden, do Jack London. A obra narra a trajetória de um personagem estivador que com muito esforço aprende a ler e escrever; se torna um escritor e freqüentador de rodas mais emplumadas sem perder a essência de seu aroma portuário. Em tom auto-biografico, passeia dramaticamente pelo tema da evolução pessoal e ambições incompreendidas. Para ser apreciado entre lagostas e feijoadas, ragus e caviares.

lunalestrie disse...

Dea, também sou fascinada por livros. Concordo plenamente com você em relação aos livros que são considerados menores: o importante é que as pessoas gostem de ler e adquiram o hábito. Quanto aos livros que você indicou, adoro dois: o do Kundera e o do Veríssimo. Beijo. :D