quinta-feira, 5 de março de 2009

Inspiração de um siricotico culinário

Sabem aqueles dias que, do nada, dá um siricotico culinário? Uma vontade irremediável de ir pra cozinha fazer algo legal, bacana e gostoso? Tive um desses na semana passada.

Queria também que fosse um prato que não desse muita bagunça e, principalmente, que pudesse ser feito com coisas que eu tinha em casa. Enfrentar supermercado um dia depois do Carnaval, justo o dia em que metade de Porto Alegre estava reabastecendo a geladeira depois do feriadão, não há malabarismo gastronômico que justifique.

Pensei imediatamente na caixinha de ovos orgânicos, grandes e bonitos que restaram da mousse que fiz de sobremesa pro churrasco de Carnaval (eu juro que vou postá-la também, mas vamos por partes). Poderia fazer o Croque Monsieur de novo, mas apesar de ser muito bom e todos na minha casa adorarem, eu queria algo diferente.

só a Dona Benta salva

Resolvi bisbilhotar o que a Bíblia da menina prendada brasileira, a.k.a. Dona Benta, tinha a me oferecer. Fazendo um parêntese, se eu tivesse que escolher apenas UM livro como referência culinária, escolheria esse. São receitas variadíssimas, organizadas de forma fácil e com ingredientes fáceis de encontrar, afinal, é um livro escrito de brasileiros para brasileiros. Ou seja, não sofre do principal problema dos livros importados: você decide fazer aquela receita apetitosa e não consegue encontrar (pelo menos não por um preço razoável) ingredientes como mostarda dijon ou sal maldon.



Parêntese terminado, encontrei uma belíssima receita de Suflê de Queijo, porém ela pedia queijo prato (o famoso queijo "lanche") ralado grosso, e eu só tinha em fatias. É nessas horas que a gente tem que ser criativo, afinal, se eu consigo dar cast de uma classe para outra, eu consigo fazer um queijo tomar o formato que eu quero.

Peguei o ralador de legumes, na parte grossa, a mesma usada pra fatiar as cenoura em rodelinhas, coloquei duas fatias de queijo uma sobre a outra e dobrei-as em quatro, para deixá-las bem grossinhas. Cuidadosamente (por que gosto de cozinhar, mas ainda sou nerd e, portanto, desastrada) fui "fatiando" a minha troxinha de queijo e ele foi se transformando em retalhos grossos, muito parecidos com os comprados em bandeijinhas e catalogados como "queijo ralado grosso" no supermercado. Vitória!

Para acompanhar, uma saladinha e só. O perfume de queijo inundando a casa, o amarelo-dourado ao sair do forno e a textura fofinha são suficientes para agraciar quaisquer papilas gustativas.


SUFLÊ DE QUEIJO

*3 ovos
*1 colher de sopa manteiga derretida
*1 xícara de chá de queijo prato ralado grosso
*2 colheres de sopa de farinha de trigo
*sal
*1 lata (300g) de creme de leite

Bater claras em neve, adicionar as gemas e manteiga sem parar de bater (preferencialmente fazer essa parte na batedeira ou no mixer, é infinitamente mais simples que à mão, com batedor de ovos).
Tirar da batedeira e misturar levemente a farinha e o queijo.
Temperar com sal e misturar com cuidado o creme de leite.
Asse em forno médio, numa forma untada (ou como eu fiz, num ramequim), por aproximadamente 20 minutos.

2 comentários:

RSG disse...

Preciso experimentar esse tambem... mmmmmm

Thiago Elias Hickmann disse...

Bah... próximo findi se ficar por casa faço um =]