quarta-feira, 1 de abril de 2009

Um jogo ruim e uma criação boa

É primeiro de abril, mas vou quebrar a tradição e contarei uma história verdadeira, acompanhado de uma receita simples e gostosa.

Eu herdei duas características bem fortes da minha avó materna: o gosto pela cozinha e a paixão nervosa por futebol. Domingo, jogo da seleção, a família inteira na frente da TV e eu pressentindo que a partida não ia ser lá grandes coisas. Altitude, time sem Kaká, ai, ai, ai. De qualquer forma, munida do meu melhor espírito patriota, depositei minhas esperanças na nossa garra e dei um voto de confiança ao Brasil.

Logo nos primeiros minutos, nosso time só defendendo, e eu fiz a mesma coisa que a minha vó faz nessas horas: arrumei alguma coisa para fazer enquanto assisto o jogo. Desse jeito, parece que dói menos ver tantas bolas na nossa trave. Lá fui eu buscar meus livros de culinária, levá-los pra sala, e ficar folheando um a um, "pra ver se encontro algo gostoso que não me dei conta antes".

Na verdade, eu já estava doida para cozinhar e, além do mais, encafifada com alguns cacetinhos (conhecidos pelos de fora da Província como pães franceses) que haviam sido comprados no sábado e não tinham sido consumidos. Estava lá me remoendo por dentro com tantas faltas tomadas e cometidas quando vejo uma receita de mini-pizzas, belas e derretidas, numa daquelas fotos que só de ver já dá para imaginar o aroma de orégano. Aquela era minha solução perfeita: fugi para a cozinha.


Era bem a hora do intervalo e resolvi preparar meus quitutes. Fui inventando na hora, com as coisas que eu achei pela minha geladeira. Um pouco de molho, queijo, azeitonas... E como a inspiração era pizza, não poderia faltar um pouco de calor. Um tempinho no forno e já estava ótimo. Não dá mais trabalho do que fazer sanduíches básicos e, posso garantir, deixa qualquer um bem mais feliz.

Terminei a montagem rapidinho e voltei para a sala, para sofrer mais um pouco, com gol-e-empate. Ao término da partida, a travessa foi para o forno, a mesa foi posta e a conclusão foi unâneme: o jogo pode não ter sido tão bom, mas os sanduíches de forno bateram um bolão!

Aliás, você pode fazer essa receita ainda hoje, para comer enquanto vê Brasil x Peru, partida disputada no estádio do meu amado Sport Club Internacional e transmitida pela TV às 22h. E torcer para que nesse dia da mentira, o Brasil jogue futebol de verdade!

Falsa-pizza futebolística

* Pães franceses (ou quantos forem necessários para seu número de comensais)
* Presunto (1 a 2 fatias para cada pão)
* Queijo (1 a 2 fatias para cada pão)
* Molho de tomate a gosto (pode ser fresco ou estilo pomarola)
* Margarina (quanto baste para untar os pães)
* Azeitonas
* Orégano ou ervas finas secas

- Separe os pães em duas fatias. Passe manteiga em cada fatia. Reserve.
- Aqueça o molho de tomate em uma panelinha. Se necessário, tempere com sal e um sachê de caldo de carne em pó.
- Corte as fatias de presunto em tirinhas. Você pode passar o queijo pelo ralador, como eu fiz e expliquei nessa receita aqui, para deixá-lo ralado grosso, ou pode simplesmente cortar as fatias a meio.
- Pique as azeitonas em pedacinhos.
- Espalhe o molho sobre as fatias de pão, seguida pelas tirinhas de presunto, azeitonas picadas e fatias de queijo. Complete com o orégano ou as ervas finas a gosto.
- Leve ao forno médio-alto por aproximadamente 10 minutos ou até que o pão esteja com a casca levemente crocante.

2 comentários:

rsg disse...

o jogo foi ruim de doer, as unhas boas pra roer e as pizzas otimas para sorver!!!

tomate, oregano e mozzarella formam o ataque mais preciso do clube da gastronomia \o/

sberlotto disse...

Bahhhh...
fiz a receita e ficou muuuuito boa !
Parabéns pela receita...